Deixe-me ir!, Evandro Calafange de Andrade



Deixe-me ir!
Evandro Calafange de Andrade

Digo que fico,
Mas meu coração vai embora
O meu corpo está presente,
No entanto, minha alma está lá fora.

Dentro do meu coração tá tão vazio
Com a ausência do sentimento real
Que um dia eu senti
No exato momento em que te conheci,
Mas agora acabou.

A nossa convivência foi matando o nosso amor
A cada discursão, palavras ditas em vão
Sem traquejo, só rancor.

Minhas malas já estão prontas
Só estou esperando o teu olhar me libertar
Meu desejo de partir sufoca-me a cada amanhecer
Quando vejo que ao meu lado
Ainda há você.

Te peço, “por favor!”
Não me prenda a ti.
“Deixe-me ir!”
Pois precisamos seguir em frente
Eu te peço, “por favor!”
Não se apegue ao rancor
Liberte-me das garras desse pseudoamor
Permita-se sorrir outra vez
E me deixe ser feliz em um solar.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

A nova safra de cantores sertanejos