Você e eu, de Evandro Calafange de Andrade


Você e eu
Evandro Calafange de Andrade

Ouça a voz do silêncio
Tão insistente, torna-se ensurdecedora
Mas não tão insuportável como a dor
Que fere a alma,
Machuca a carne,
Embriaga os pensamentos mais sãs.

Quero abri os olhos no amanhã
Sentir o toque da sua mão
Me deliciar com o perfume
Da tua suave pele nua
Ter um minuto a mais
Apenas em um verão sem chuva.

Grito para acordar
É um delírio que vem me matar
Seguro a corda da salvação
É a paixão do teu olhar
Pois, amor, te peço baixinho
Vem ficar aqui comigo.

Joga tudo por ar
Vem os meus beijos beijar
Sentir a emoção da vida
Está viva ao meu lado
Além do Ribeirão
Você e eu contracenando o amor
Sob o luar do sertão.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

A nova safra de cantores sertanejos