"Me rega, amor!", de Evandro Calafange de Andrade


Me rega, amor!
Evandro Calafange de Andrade

Preciso do teu ar para viver
Do teu toque para me estremecer
Fazer o meu coração palpitar
Sentir calor ao acordar
Em plena madrugada de inverno.

Sem os teus beijos
Não sou nada!
Preciso sentir tua pele na minha
Para aguçar os meus profundos desejos
Me transformar em fera no cio
Louca de tesão
Ser em erupção.

Porque, amor!

O meu amor sem você
É flor morrendo de sede
É erosão
É seca do sertão.

Me rega, amor!
Me alimenta, amor!
Me faz viva outra vez dentro de você.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

A nova safra de cantores sertanejos