BBB16: Os protagonistas-antagonistas da 16ª edição


O caráter dúbio, mas verdadeiro e transparente, dos três participantes – Ana Paula, Ronan e Munik – proporcionou a eles o posto de protagonistas da 16ª edição do Big Brother Brasil, reality show da TV Globo.
Ronan já adentrou a casa como protagonista. Desde as suas primeiras cenas, já demonstrava o seu verdadeiro papel dentro da trama BBB16. No caso de Ana Paula, ela esperou o momento certo para entrar com tudo na história. E desde então, sua atuação vem impressionando o telespectador, jornalistas e críticos. Há até quem aposte no final triunfal para a jornalista, que tanto é acusada de patricinha. E que mal tem em ser patricinha? Nenhum. Como ela diz: Tente xingamentos mais consistentes, querida.
Munik também não se contentou com um papel pequeno na história: como uma rejeitada pelo, até então, galã do romance Big Brother. Portanto, aproveitou para seguir os passos dos protagonistas da trama, e se tornou fundamental para o desenrolar do enredo.
A sua força é tanta que os fãs resolveram shippar as duas grandes personagens da edição: Annik. E a torcida para as duas chegarem ao final é grande. Além disso, o público acabou desistindo da possível grande história de amor entre o modelo metrossexual e a jovem Pequi. E assim chegamos a uma conclusão: na 16ª edição do reality, não haverá espaço para romances.
E falando no modelo. Este viu o seu posto de galã ser renomeado para o último lugar da história de Pedro Bial, mas tratou de mudar de estratégias dentro do jogo, após o retorno de Ana Paula, a patricinha barraqueira, segundo o próprio. No entanto, almejar o posto de vilão do BBB não é para qualquer um, não.
Acho que vai demorar para assistirmos um grande vilão a altura do Alberto Cowboy da temporada do galã Alemão e da mocinha Siri. Assim como, história de amor mais profunda e ovacionada pelo público do que o romance do triângulo amoroso vivido por Alemão, Siri e Fani. Foi um verdadeiro novelão. Como também o protagonizado por Francine e Max, digno de uma trama das 18h.
Mas voltando ao “vilão” Renan, passa mão no cabelo, o rapaz até tenta, é bem esforçado, mas lhe falta talento para atuar como o vilão do BBB16. Além disso, não transmite verdade no que fala, não tem carisma e nem veneno correndo em suas veias, elemento fundamental para o papel, na minha concepção, é claro. Sem falar no medo que transmite durante o enfretamento com Ana Paula. 
Há ainda outro ponto, quem briga com o seu rival e lhe chama pelo diminutivo? Renan, é claro. Foi de morrer de rir, ouvi-lo chamar “Aninha” durante uma discussão com a mocinha-vilã. Por isso, é evidente que o rapaz treme de medo de enfrentar um paredão com ela ou com qualquer um dos participantes. E assim, pode-se afirmar que as suas estratégias de permanência não lhe garantem o prêmio de R$ 1,5 milhão.
O que não podemos atribuir à Ana Paula. A sister até pode ultrapassar todos os limites, mas é essa entrega sem limite que lhe dá o posto de protagonista-antagonista do BBB16. Além de ser a possível ganhadora do grande prêmio do reality show. Apesar de não tem muito a ver com o comportamento de Diego Alemão, ganhador de sua edição, podemos considerar Ana Paula como a única favorita ao prêmio, assim como, o galã-vencedor de caráter, também, dúbio do BBB7.

Agora é esperar e assistir aos próximos capítulos do BBB16. 



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

O PROTAGONISMO E A PARTICIPAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO ESCOLAR