A realidade da Educação Estadual do RN 2011


Técnicos da Secretaria de Educação vão à sala de aula suprir carência de professores

Por Assessoria Seec
A Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC) articulou uma força tarefa para garantir o início do ano letivo em todas as escolas da rede estadual. As Subcoordenadorias do Ensino Médio e do Ensino Fundamental (setores da SEEC) formaram equipes pedagógicas e estão nas escolas realizando atividades para suprir a carência de professores e garantir o cumprimento do calendário, que de acordo com a legislação, prevê 200 dias/ano e 800 horas aula.

O ensino fundamental, por ter a maior quantidade de alunos e de escolas, apresenta maiores problemas quanto à falta de professores. Em Natal, a 1ª Diretoria Regional de Educação contabilizou 38 escolas com turmas iniciais (1º ao 5º ano) faltando 177 docentes. De acordo com Susana Fernandes de Brito, técnica do Ensino Fundamental, nas unidades onde faltam poucos professores a orientação foi juntar turmas e, como são séries iniciais, realizar trabalhos de adaptação.

Quanto às escolas em que falta um número maior de docentes, os técnicos da Subcoordenadoria de Ensino Fundamental, Suef, estão suprindo as necessidades desenvolvendo trabalhos culturais, oficinas com livros didáticos, programa barco escola, mediadores de leitura, material didático dos programas alfa e Beto e correção de fluxo, saúde, matemática e exibição de filmes educativos. "Estamos trabalhando para manter esse trabalho até que os professores convocados sejam encaminhados as escolas e a situação seja normalizada". Disse.

Uma das equipes foi formada pelas técnicas Vânia Marinho, Edna Gomes, Maria Marlene e Terezinha Omar. De acordo com o relatório apresentado pela equipe, a única escola visitada em que não houve acordo para o início das aulas, em todas as turmas, foi a escola Jean Mermoz, do Bairro Bom Pastor. Segundo relato das técnicas foi realizada uma reunião com os pais dos alunos e gestores da escola. "Eles (os pais) não aceitaram iniciar as aulas com nossas equipes, preferiram aguardar a chegada dos professores convocados". A escola possui 13 turmas, apenas três iniciaram as aulas.

Apesar de localizada no Bom Pastor, a maioria dos alunos da Jean Mermos são oriundos de comunidades nas proximidades do Km 6, estrada que liga Natal a Macaíba, pela Zona Oeste. Segundo as técnicas, essa seria a grande dificuldade para retomar as atividades na escola, porém, a SEEC vai insistir com a manutenção do calendário. "Nós vamos visitar novamente a escola. Se precisar vamos fazer uma nova reunião com os pais e vamos convocar os alunos para as atividades. Hoje mesmo, vamos entrar em contato com o diretor". Afirmou Susana Fernandes.

Já na Escola Estadual Alfredo Pegado, de Mãe Luiza, apesar de doze turmas sentirem com a ausência de professores, não houve maiores dificuldades. Algumas turmas se juntaram. Nas maiores turmas os técnicos iniciaram as atividades educativas e nenhum aluno voltou pra casa sem aula. 

Segundo Ana Lúcia Soares, técnica da SUEF, a maioria dos professores e gestores escolares foram solidários ao trabalho da SEEC. "Os diretores disseram que estão muito satisfeitos com a postura da secretaria em acompanhar de perto o trabalho nas escolas. Eles disseram que nunca viram isso, tanto empenho para não deixar faltar aula. A maioria dos professores também aceitou juntar as turmas". Concluiu.  
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

O PROTAGONISMO E A PARTICIPAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO ESCOLAR