Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Redivivo, Poema do Prof. Esp. Evandro Calafange

Redivivo

Não sou louco como Dom Quixote
Mas tenho a imaginação fértil
Tal qual a dele.

Não sou quase imortal como Aquiles
Mas tenho as astúcias de Odisseu
E tão conquistador e apaixonado
Como um facínora, um avoado.
Porém, um Romeu (des)encantado
Ou um Zorro alucinado.

Querendo te encontrar
Nas linhas de um pensamento qualquer
Nos traços de vida revivida
Os deuses que ilustram as manhãs
E o teu nome vem me chamar.

Digas que me ama
Que direis quem sou
Falas que me deseja
Que caminharei a te buscar
Nas estrelas das redomas
Das entranhas de uma amante
Reencontrado em teus abraços.

Gritarei: Redivivo só por você!

Poema de Ulisses Tavares

Honoris causa

Ah, o amor é uma bobagem
Escrevi, li, conversei a respeito.
Mas depois de conhecer você
Bagunçou tudo no meu peito
Perguntam se o amor é nada?
Ora, mais respeito se dê!
Bolas, isso é pergunta de quem
Não conhece você!

(Dário de uma paixão. São Paulo: Geração editorial, 2003.)

Poema de Cecília Meireles - Confessor Medieval

Confessor medieval
(1960)

Irias à bailia com teu amigo,
Se ele não te dera saía de sirgo?
Se te dera apenas um anel de vidro
Irias com ele por sombra e perigo?
Irias à bailia sem teu amigo,
Se ele não pudesse ir bailar contigo?
Irias com ele se te houvessem dito
Que o amigo que amavas é teu inimigo?
Sem a flor no peito, sem saia de sirgo,
Irias sem ele, e sem anel de vidro?
Irias à bailia, já sem teu amigo,
E sem nenhum suspiro?

(Cecília Meireles. Poesias completas de Cecília Meireles – v. 8. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1974.)

Poema de Vinícius de Morais

Soneto de fidelidade

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dois se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive,
Quem sabe a solidão, fim de quem ama,

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama,
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes.

Poema de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que destina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Camões

Magoas - By Evandro Calafange

Hoje estava rindo
e alguém falou online comigo
Hoje está tão triste
e alguém falou algo comingo

Disse-me coisas engraçadas
Disse-me coisas horríveis
Me fez chorar
Me fez sorrir

Ele falou assim:
"Tu és o que não sóis"
Eu sou o que sou
Tu és que não sabe o que fala
fala o que não pensa

As razões não deve ser de emoções
As emoções não deve vim da razão
aquela que não se encontra
aquela que se foge
Daquela que não queres ver

Hoje a lágrima caiu
caiu baixinho sem falar nada
E a canção soou
a mais bela melodia de amor
Sentimento que havia dentro do coração
Que quebrou como cristal
Que não se reformará mais

Te perdi quando te olhei
Te ganhei quando sai
Sai para não te ter
Fiquei só para sofre

Porém, ainda grito:
"Te amo, meu amor"