Uma poesia de minhas entranhas.

Blue Dream!

Sorri sempre que precisei sorrir
Sorri cada vez que te conhecie
Sorri em momentos que era pra chorar
Sorri nas constantes de constantes solidões.
Sonhei o que devera sonhar
Sonhei o que não devia jamais pensar
Sonhei em manhãs de inverno
De outono, primavera e não no verão.
Criei a ilusão da paixão
Criei o olhos lacrimejando
Criei o frio em visão.
Tive a vida que era pra viver
Vivi o que não tinha que ser
Senti o que não era para ser
Senti a magoa de não ser e não ter
O que compartilhar com outro ser.
De amar pra crescer e viver...
Não fui o que fui por não ser...
Ser o ser que deveras...
Ter o que tenhas em solidão
A razão de sonhar o sonho azul
Num raiar do BLUE SKY!
Evandro Calafange
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESENHA CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO - MILTON SANTOS: POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

Ator Global de "Além do Horizonte" se assumiu mesmo?

O PROTAGONISMO E A PARTICIPAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO ESCOLAR